sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Sand of Times


Sei que nada é para sempre.
Aliás, sempre o soube…
Então qual a razão da desilusão?
Porque nos entristece o fim, se sabíamos à partida que o mesmo iria chegar?
Não estamos preparados?
Ou simplesmente não o suportamos?

Questões normais na vida de todos.
Mas ainda assim, são questões sem resposta.
Ou talvez, de resposta complicada.
Lembro então 2007, e relembro…
Todos os passos dados,
Todas as palavras proferidas.
Todos os desejos concretizados.
Todas as promessas que caíram no vazio.
Sinto-o.
Não foi o ano que ansiei…
Anos não se planeiam!
Vivem-se!
Sobretudo, vivem-se!
Talvez tenha sido esse o mau maior erro.
Sei agora o que quero de 2008.
Nada de planos, desejos ou ideias.
Neste novo ano…

…quero VIVER!


quinta-feira, 27 de dezembro de 2007

Excertos VI



Ouvi, li, senti algures...

Alone in a corridor, waiting, locked out

he got up out of there, ran for hundreds of miles

He made it to the ocean

had a smoke in a tree

The wind rose up, set him down on his knee
Wave came crashing like a fist to the jaw,
Delivered him wings, "Hey, look at me now..."

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Quero-me de Volta


Sentia-o…

Não esperei então muito deste Natal.
Não me recordo de ter um assim.
Tão desprovido de sentimento.
Sem surpresas, os últimos meses indiciavam-no…
Ofereci.
Recebi.
Mas não foi o mesmo…
Até o sabor de tudo que é bom nestas alturas foi irrelevante.
Sem Paladar!
Sem Saudades!
Sem Carinho para dar aos “meus”!
Sem Alegria!

…felizmente, sei quem culpar…

Este ser em mim, que possuí uma vida e não a usa para seu proveito!


quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Dois...


Eles…

Calmamente tocam-se…
Com a ponta dos dedos acaricia-lhe a pele.
Um toque suave.
Discreto.
Mas sentido, muito sentido!

Ela…

Há muito que ansiava por este toque.
E desfrutava…
Sentia-o pela primeira vez e a felicidade não cabia dentro dela.
Todas as inquietudes, frustrações e problemas do seu quotidiano eram diminutas.
Desprovidas de qualquer importância ou relevo.

Ele…

Contemplava a sua pele de tez suave.
Sentia o perfume do seu pescoço.
Queria beijá-lo!...
Mas hesitava.
Não por recear não ser correspondido. Mas pela insegurança própria da situação.

Eles…

Olhavam-se, mas já não se tocavam!
Olhos fixos um no outro.
Mas imóveis...
De súbito, ela cede.
Embaraçada pela situação, inicia uma conversa sobre um qualquer assunto sem interesse.
Naquele momento nada tinha interesse.
Ele coloca-lhe, nesse momento, dois dedos nos lábios.
Silenciando-a com o gesto.
Aproxima-se dela…


…e finalmente, os seus lábios sentem os dela…

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Imagens e Visões IV


Paloma por Ana Água

Óleo sobre tela por uma amiga minha.
Entre as várias que já fez, escolhi esta.
Está linda, parabéns...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Desafio I



Foi-me feito um Desafio pela Stella Maris no seu blog. Passa por ler e transcrever a 5ª frase da página 161 do livro que estou a ler e passar a bola a outros bloggers. O livro que estou a ler neste momento é "Boca do Inferno" de Ricardo Araújo Pereira e a frase é:

"À fé em Deus que já lhe conhecíamos, por ser sacerdote, junta uma aparentemente ilimitada fé na estupidez das pessoas."

Faço o mesmo desafio aos seguintes bloggers: AllenGirl e Ups

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

5 Meaningful Sentences


Num desafio lançado pela AllenGirl no seu blog.
Aqui vão as minhas cinco frases/pensamentos, que fui lendo e ouvindo por aí...


"Imagination is more important than knowledge..."

"Love is, above all else, the gift of oneself."

"Adversity does teach who your real friends are."

"It has never been my object to record my dreams, just to realize them."

"Happiness depends upon ourselves."


quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

SoundTrack of Live IV

Uma música do “mestre Frank”. Sempre adorei esta! …“In other words, baby, kiss me”


“Fly me to the moon”
Frank Sinatra

video

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Excertos V



Ouvi, li, senti algures…

“Pus-me a pensar…
Não será mais do que isso!
Mas como tudo nunca será tudo,
Porquê o escudo?
Porque não vens ver o que o futuro nos guarda!
Quero que sejas…”

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Basta de mim


Não dá mais!
Tenho de me decidir…
Esta espera.
Esta incerteza.
Este estado amorfo.
Tem de acabar! Chega!
De uma forma ou de outra tem de acabar.
Tenho a vida parada. Talvez não parada, diria antes congelada.
Num gelo bruto, duro e disforme.
Que descongela a uma velocidade lenta.
Demasiado lenta!
Onde as gotas escorrem, mas nada descobrem.
Nada revelam.
Demasiado turvas.
Com ambas as mãos tento puxar o meu corpo na direcção que quero seguir.
Sinto-me fatigado!
Massacrado de tanto tentar…

…mas serve-me de alento.

Quero muito continuar a tentar.
E vou!


segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Calor Temporário


Sábado.
Estou só em casa.
Saio para beber café e talvez “arejar” corpo e mente.
Mas não!
Acabo o café e depressa regresso.
Acendo a lareira.
Não que estivesse particularmente frio, apenas não queria estar sozinho.
Ligo a tv, mas depressa a ignoro e desligo.
Não quero ver nada, não tenho vontade.
Encosto-me no sofá perto da lareira.
O silêncio da casa e o calor do fogo relaxa-me o corpo.
Penso…
Divago pelos últimos meses da minha vida.
Reconheço indubitavelmente.
Muito não correu como esperava e como queria.
E o que fiz para contrariar esta situação…
Nada! Ou muito pouco.
Talvez sentisse interiormente no subconsciente que eram acontecimentos inevitáveis embora com a certeza que me iriam magoar.
Ou então apenas deixei de lutar!
Não sei…
Digo para mim mesmo.

“Pensamentos inúteis e evitáveis!”

Volto a ligar a tv…


sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Imagens e Visões III

Soho, NY

Adorei quando lá estive.
Se me fosse possível, era onde viveria.
Quem sabe, um dia...

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

2 Faces


A vida tem me ensinado algumas coisas…
Uma delas é sem dúvida, que nunca conhecemos as pessoas em plenitude.
Assumo.
Tenho duas faces!
Penso que todos temos duas faces!
Podemos privar intimamente com alguém durante muito tempo, sem que esse alguém mostre a sua outra face.
Entretanto um dia deparamo-nos com ela…

…e aí sim…

Aceitamos ou rejeitamos!


quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Excertos IV



Ouvi, li, senti algures...

"Como te podes entregar?
Sabendo que nem foste tu o incapacitado de pensar, de criar.
Uma nova doutrina para o resto idealizar.
Um conjunto de ideias curtas para os do género memorizar.
Outro dogma, outra ideologia que é fraca para criar, procriar outro conjunto de iguais para fazer como tu o fazes, como te ensinaram a pensar e aceitar sem tentar compreender, sem ver que não é bem assim.
Que tu não podes viver bem assim.

Hipócrita!"


terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Espelho Humano


Sentados. Um amigo questiona-me.

Como esquecemos alguém?
Como deixamos de gostar de alguém?

Algo surpreso, não respondo de imediato.
Penso por breves momentos.
Porque o faço?...
Talvez por terem sido questões que quis ver respondidas no passado.
Questões que na altura persistiam na minha mente.
Vejo-me então na necessidade de voltar ao assunto.
Respondo-lhe então sinceramente.

Não acho que seja possível fazê-lo, nem acredito em passos de mágica para tal.
Cada história tem o seu desfecho.

Não se esquece!

Nem se deixa de gostar de alguém de um momento para o outro.

Aprende-se sim, a viver com essa realidade.

Haverá sempre dias melhores e outros piores!

Haverá sempre alturas em que te irás lembrar de tudo e outras de nada!
Haverá sempre dias de tristeza e outros de alegria!

A resposta será sempre viver…

Viver, até que o hoje passe a ser história.

Passado!

Visivelmente atordoado não responde de imediato.
Talvez não esperasse esta resposta.
De repente como se tivesse acordado, dispara novas questões.

Não é nada fácil, mas o que faço com tudo o que tenho cá dentro?
Voltarei a conseguir Amar alguém?

Sorrio ligeiramente.
Penso então para mim…
…Onde será que já ouvi isto?!...


segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

SoundTrack of Live- III


Sempre gostei muito desta música, as razões...
Essas são minhas!

"To Zion"
Original do Lauryn Hill
Versão ao vivo Lauryn Hill com Carlos Santana


video

Apenas!

Apago o monitor.
Visto o casaco, o cachecol e agarro na bolsa.
Saio para almoçar.
A viagem é curta.
Não tenho fome, mas obrigo-me a comer algo.
Enquanto aguardo, olho para o vazio.
Rapidamente entro naquele mundo só meu.
Penso em mim...
No que tenho!
No que sinto!
No que desejo!
A mente voa, enquanto o corpo é absorvido por uma letargia.
É então interrompida abruptamente...

...algo me chama a atenção...

Era ela!
Como tantas outras vezes também vinha almoçar.
E como sempre capta a minha atenção!
Não sei quem é...
Não sei o seu nome...
Não sei nada...

Sei apenas que gosto de olhar para ela!...

Será pelos seus cabelos loiros?
Será pela sua face?
Será pela sua forma de andar?
Será pela sua forma de olhar?
Será pela aura especial que vejo nela?

Sei apenas que gosto de olhar para ela!...